Já falamos por aqui que o paciente não avalia o médico apenas pela assertividade diagnóstica, mas também por vários outros fatores presentes durante, antes e depois da consulta. Esses fatores podem diminuir o absenteísmo, aumentar a adesão terapêutica, o número de pacientes que vão ao seu consultório e até mesmo o seu valor cobrado por consulta. 

Antes de comentar sobre a melhor maneira de estabelecer condutas para o seu paciente, queria te contar uma coisa, que muitos médicos já sabem e outros tantos ainda não perceberam: 

Nós da área médica somos muito competitivos e críticos, ser responsável e ter respeito e cuidado com os pares e pacientes é a nossa obrigação. Porém, somos muito admirados quando: sabemos o que os outros não sabem e fazemos o que eles não fazem. Então: seja quem traz os melhores resultados, para a equipe e para os seus pacientes. 

Pesquise sobre as condições do  paciente que você sabe que vai ter no dia seguinte. Descubra quais as incidências, as melhores alternativas terapêuticas e toda a propedêutica e fluxo possível relacionado. Traga o que há de mais novo e melhor de possibilidade para sua equipe e seu paciente.

Durante seu internato, residência ou carreira, se você mantiver essa conduta, certamente será reconhecido, ganhará mais autoridade, terá mais oportunidades e será mais bem quisto. 

A pergunta é : como fazer isso?


Aprenda a pesquisar de uma forma prática baseando-se nas melhores evidências possíveis. Saber de fato realizar uma medicina baseada em evidências, elaborar seus questionamentos, saber onde pesquisar cada contexto, organizar os resultados e avaliar se os resultados da sua busca respondem suas perguntas iniciais.

A pergunta é : como fazer isso?
Aprenda a pesquisar de uma forma prática baseando-se nas melhores evidências possíveis. Saber de fato realizar uma medicina baseada em evidências, elaborar seus questionamentos, saber onde pesquisar cada contexto, organizar os resultados e avaliar se os resultados da sua busca respondem suas perguntas iniciais.

Tem muita gente que enxerga que Medicina Baseada em Evidências é apenas uma matéria obrigatória da faculdade, mas realmente não é. Quem sabe realmente encontrar o que é de melhor para o seu paciente e equipe e de fato melhorar a realidade, ou seja: quem se atualiza e entrega resultados de qualidade é que faz a medicina de ponta. 

Uma medicina com menos ego, menos eloquência e achismos e com mais assertividade, reprodutibilidade e inteligência. Uma medicina realmente de elite é uma das principais habilidades que fazem com que o médico traga o melhor para o seu paciente, o melhor para sua equipe e como consequência ganhe admiração entre os pares e os pacientes. Ter uma prática médica baseando-se no que há de melhor e saber contextualizar os achados na realidade do seu paciente. 

Por fim, quero trazer uma boa notícia para vocês: Estamos lançando um curso de Medicina Baseado em Evidência, 100% voltado para a prática, para ensinar você a elaborar seu questionamentos, pesquisar e entender os seus resultados para melhorar sua conduta e da sua equipe. Com professoras incríveis e uma didática passo a passo, dinâmica, com recursos como animações e mapas mentais. Para que você de fato possa aprender essa habilidade. 

Bom pessoal, esse foi o episódio de hoje. Mais a frente na semana vocês receberão a oportunidade de poder se inscrever nesse curso fantástico, e se esse e os outros episódios do podcast fizeram sentido para você, compartilhe e faça parte dos nossos grupos, para receber semanalmente em seu celular conteúdos gratuitos e sem spam basta clicar na área de Podcast!!

Um grande abraço, pessoal! 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui